A força da lágrima de Dona Nadine

Foto: Divulgação Santos F.C.

Neymar pediu perdão pelas bobagens que fez nos últimos tempos. Dizem que ficou muito envergonhado quando viu as lágrimas da Dona Nadine escorrendo pelo rosto. É perfeitamente possível imaginar que ao ver a tristeza da mãe, Neymar tenha voltado à terra.

Se todos os conselhos e discursos não tiveram o sucesso esperado, as lágrimas silenciosas da Dona Nadine, talvez, tenham corrigido a rota do jogador. A reação rebelde de Neymar diante de todas as críticas e todos os aconselhamentos pode ter sido dominada pelos olhos tristes da Dona Nadine.

Lágrima de mãe é forte. Quase sempre as gotas atingem diretamente o coração dos filhos. Alguns escritores dizem que elas comovem até os diamantes. Lágrima de mãe não é fingida nem traiçoeira. E nem secam depressa. Seguramente, as lágrimas da Dona Nadine foram convincentes. Lágrimas de mãe são diferentes das lágrimas dos crocodilos que vertem quando querem devorar.

Um amigo meu tem o hábito de dizer que as lágrimas de mãe conseguem derreter gelo e aquecer corações. Na verdade, Neymar pediu perdão para Dona Nadine. E, por extensão, para todos os ofendidos até agora. Tomara as lágrimas dessa senhora que está vendo o filho ocupar grande espaço tenham conseguido acomodar a terra.

Cada lágrima da mãe de Neymar trouxe uma esperança. O jovem tem talento, já ficou rico, arrumou a vida da família e jogar a carreira pela janela seria lamentável.  Pior do que perder a habilidade com a bola seria perder a credibilidade e o respeito. Ninguém gosta mais do Neymar, sem nenhum interesse obscuro, do que a Dona Nadine.

Lágrima de mãe não é sinal de fraqueza, significa amor puro.

Lágrima é composta por água, sais minerais, proteína e gordura. Mas lágrima de mãe tem outros componentes invisíveis: amor, sinceridade e o poder de amolecer e corrigir durões,  insensíveis, rebeldes, indisciplinados e garotos mimados.

1 Comentário para “A força da lágrima de Dona Nadine”

  1. paulo

    Se Mãe não resolver esquece

Deixe uma Resposta

*


© 2010-2013 - Wanderley Nogueira - Todos os direitos reservados